DAMIÃO REALIZA PRIMEIRA AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE COLETA SELETIVA DE LIXO

Durante toda a manhã e parte da tarde desta segunda (18), foi promovido no auditório da Escola Alexandre Diniz da Penha, no município de Damião, a primeira audiência pública para discutir a implantação da coleta seletiva de lixo.

O evento aconteceu através de parceria entre o Ministério Público Estadual, FAMUP, e Prefeitura Municipal de Damião.

Na ocasião, Professores, Agentes de Saúde, Agentes de limpeza Urbana, e outros profissionais de saúde, educação, assistência social, infraestrutura, meio ambiente, administração, finanças, demais setores do governo municipal, além de representantes da sociedade civil, ouviram e opinaram sobre a implantação da coleta seletiva, tendo como principal foco a conscientização da população sobre os impactos positivos da separação dos resíduos sólidos.

Os promotores do MPPB Farias e Ranieri Dantas enfatizam a importância do trabalho de conscientização principalmente nas escolas e junto às famílias através das igrejas e Agentes Comunitários de Saúde para “criar o hábito de separar o lixo” e assim contribuir para o meio ambiente e melhoria da qualidade de vida.

Em Reunião paralela ao evento, realizada com a equipe técnica da prefeitura, foi elaborado um cronograma de metas, onde a gestão deve cumprir o prazo de até dezembro para oferecer condições adequadas para a destinação do lixo, através da disponibilização de espaço para que associação de catadores, a ser instituída, possa se instalar e receber os resíduos que serão separados em recicláveis, orgânicos e rejeitos, todos com a devida destinação.

Após o evento, foram realizadas visitas ao atual “lixão”, a estação de tratamento de esgoto como também a possíveis locais onde serão construídos os galpões de coleta e espaço de destinação final dos rejeitos e lixo orgânico.

O prefeito Lucildo Fernandes reafirmou o compromisso assumido nas ultimas eleições, e disse que não medirá esforços para mais essa conquista para o bem da população damiãoense.

A coordenadora de meio ambiente Naldete Casado, que junto a Secretaria de Educação e Saúde, conduziu o processo de mobilização para realização da audiência pública ressaltou que “além da melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida da população em geral a iniciativa também vai trazer benefícios econômicos para os catadores e suas famílias”.

COMPARTILHAR